Como planta medicinal, segundo a literatura etnofarmacológica, é a planta unanimemente mais usada no tratamento caseiro de diarréias na infância.

 
E referido também o uso do chá em bochechos e gargarejos no tratamento de inflamações da boca e da garganta ou em lavagens locais de ulceras e na leucorréia.
 
Sua analises fotoquímica registra nas folhas a presença de óleo volátil rico em bisaboleno e outros sesquiterpenos, além dos acetais dietoximetano e dietoxietano que dão o aroma aos frutos.
 
O extrato aquoso do olho (broto) da goiabeira, mostrou intensa atividade contra Salmonela Serratia e Staphylococcus, germes muitas vezes responsáveis por graves diarréias de origem microbiana, mais forte na verdade de polpa vermelha e muito mais fraca nas folhas adultas e cascas.
 
O chá por infusão é preparado adicionando –se água fervente, em quantidade suficiente para uma xícara das medias, sobre 3 a 4 brotos (olhos), incluindo o primeiro par de folhas jovens já crescidas mas ainda tenras.
 
Bebe-se uma ou mais xícaras ao dia ou logo após cada defecação liquida.
 
Para os casos de diarréia infantil o chá deve ser preparado com 15 a 20 olhos em um litro de água, fervida junto com uma colher das de sopa de açúcar e uma colherinha de sal para ser usado como soro rehidratante caseiro, a ser administrado em pequenas doses, a cada cinco ou dez minutos.
 
A extensa experiência popular, aliada aos resultados da experiência cientifica, permitem recomendar o uso do chá dos brotos da goiabeira vermelha no tratamento das diarréias como medicação antiinfecciosa e re-hidratante.